Prevenção e Combate a Incêndio

“Mais um desastre causado pelo fogo”. Provavelmente você já escutou isto alguma vez na vida né? Boate Kiss, Creche Gente Inocente e o Edifício Andorinha são apenas alguns exemplos, vítimas do desconhecido. Milhares de vidas em risco.

Ter cautela nunca é demais, principalmente quando se trata do seu negócio! Além disso, você precisa saber como agir nessas situações para que os riscos sejam minimizados! Aprenda aqui sobre prevenção e combate à incêndio e garanta a segurança de todos.

Mas antes, para combater um incêndio é importante compreender algumas características do próprio fogo:

 

O fogo e a sua composição

Você sabia que o fogo é uma reação química? Pois é! Para que se tenha fogo, são necessários: combustível, comburente e calor.

O combustível é toda substância capaz de queimar e aumentar a combustão. Sendo assim, ainda podem ser classificados em: sólidos (ex: madeira e pape), líquidos (ex: gasolina e álcool) ou gasosos.

Os sólidos têm um processo de combustão mais rápido quando a superfície exposta for maior, então, quanto menor a superfície, mais lento o processo.

Já quanto aos líquidos, deve-se observar algumas de suas propriedades que podem dificultar a contenção do fogo, são elas: solubilidade e volatilidade. Esta se refere a capacidade do líquido de liberar vapor, aquela, à capacidade de diluição do líquido, que quando maiores, permitem uma maior probabilidade de haver fogo.

O comburente é o elemento que combinado aos combustíveis, dá vida a combustão. O mais conhecido é o oxigênio, mas há outros gases que se comportam como comburentes em determinados casos, como por exemplo o hidrogênio em meio ao cloro.

O calor é a energia necessária para que o fogo se propague. Tais substâncias sozinhas não são nocivas, mas quando juntas, você precisa estar preparado!

 

Formas de propagação do fogo

Para que a extinção ou prevenção seja realizada, é de extrema importância o conhecimento das formas de propagação do fogo, que podem ser por condução, convecção ou irradiação.

Na condução, é preciso que as partículas tenham contato uma com a outra, já na convecção, uma simples massa de ar aquecida pode causar uma combustão. Por último, a irradiação depende de ondas caloríficas para transmitir calor através do espaço.

 

Classes de incêndio

Para extinguir o incêndio de maneira efetiva, é muito importante que se conheça antes as classes de incêndio existentes. São elas:

  • Classe A: ocorrem em materiais fibrosos (como madeira, papel, tecidos e borracha), ou combustíveis sólidos (como o carvão). Esses materiais são queimados em toda sua superfície e profundida, deixam resíduos, como cinzas e brasas, e podem ser apagados através de resfriamento.
  • Classe B: ocorrem em gases combustíveis ou combustíveis líquidos, como óleos gasolina, éter e querosene. A queima ocorre na superfície, sem deixar resíduos. Sua extinção ocorre pelo método de abafamento.
  • Classe C: ocorrem em materiais energizados, por exemplo motores, transformadores e interruptores. Devido à presença de eletricidade, este tipo de incêndio representa um risco grande à vida, e devem ser combatidos com extintores que não conduzem eletricidade, por isso não se deve utilizar água ou gás carbônico.
  • Classe D: ocorrem em metais pirofóricos, como pó de alumínio, magnésio, potássio, titânio e sódio. Este incêndio irradia uma luz forte e é difícil de ser combatido. Seu combate deve ocorrer através do abafamento, e não deve se utilizar água nem espuma.
  • Classe K: ocorrem com gorduras e óleos alimentícios. Ocorrem geralmente em cozinhas, quando os óleos ou gorduras são aquecidos, não devendo se utilizar, de maneira alguma, água para combater, já que podem ser provocadas explosões e graves ferimentos em quem estiver próximo. O melhor método para extinguir este incêndio é por abafamento.

 

Extintores de incêndio

Agora, já conhecendo as classes de incêndio e os métodos de combate, é importante que você saiba da  obrigatoriedade dos materiais de combate a incêndio.

Além disso, entender os tipos de extintores e a maneira correta de segurá-los é de extrema importância para que a reação ao incêndio seja muito mais eficaz:

  • Extintores de Água: o agente extintor é a água, expelida pelo extintor através de um gás. São destinados a extinguir os já citados incêndios Classe A. O alcance de seu jato é de aproximadamente 8 metros, e não devem ser utilizados em casos de incêndio envolvendo eletricidade. Para sua manutenção, devem ser inspecionados mensalmente.
  • Extintores de Espuma Química: São ideais para o combate a incêndios Classe B, e também podem ser utilizados nos de Classe A, porém de maneira menos eficiente. Devem ser inspecionados mensalmente.
  • Extintores de Gás Carbônico: Utilizados em casos de incêndio Classe C. Ao utilizar, o CO2 deve ser aplicado no método de abafamento de maneira homogênea e rápida, já que se perde facilmente. Devem ser pesados e vistoriados mensalmente.
  • Extintores de Pó Químico: Indicados para incêndios de Classes B e C, e utilizam os agentes extintores bicarbonato de sódio ou de potássio. Em relação à manutenção, devem ser inspecionados com muita frequência, e ter sua carga substituída anualmente.
  • Extintores de Pó Químico Especial: Indicados para incêndios Classe D, e agem através do método de abafamento.
  • Extintores de Pó Multiuso (ABC): São indicados em casos de incêndio Classes A, B e C, tendo como agente o monofosfato de amônia siliconado. Devem ser inspecionados frequentemente, e sua carga deve ser substituída anualmente.
  • Outros agentes de combate a incêndios: Em alguns casos emergenciais, outros agentes podem ser utilizados no combate a incêndios. Por exemplo, em um incêndio de Classe D, o combustível pode ser coberto por terra, o que faz com que o oxigênio seja cortado e o fogo apagado. E em um caso de incêndio Classe K, a gordura de uma panela em chamas pode ser apagada através do uso de um pano molhado para tampar sua superfície, fazendo com que o oxigênio seja cortado.

 

Combate a incêndio

Como já vimos anteriormente, a combustão só existe quando os três componentes estão presentes, ou seja, quando um é isolado, há interrupção da combustão. E por isso, temos os métodos de extinção do fogo: por resfriamento, por abafamento, por isolamento e químico.

É muito importante que você saiba qual método utilizar de acordo com o tipo de extintor. Além disso, faz-se necessário identificar as ações que devem ser realizadas nessas situações.

 

Prevenção de incêndio

Tão importante quanto saber combater um incêndio, é poder preveni-lo, evitando assim, problemas futuros. Pensando nisso, separamos alguns pontos importantes para você:

  • Manter as caixas de incêndio intactas em perfeito estado, para serem utilizadas apenas se ocorrer um incêndio de fato;
  • Fixar os extintores nos locais corretos;
  • Conhecer o número de telefone do Corpo de Bombeiros: 193;
  • Evitar que líquidos inflamáveis vazem;
  • Evitar que os ambientes fiquem sem ventilação;
  • Respeitar os alertas e não fumar em locais fechados, como elevadores, e não os utilizar em casos de incêndio;
  • Tomar cuidado com o uso de cera no piso e objetos como velas;
  • Evitar aglomerações e não impedir a ação dos socorristas.

É isso! Agora que você já sabe como o principal causador dos incêndios reage, ficou bem mais fácil de se prevenir e combater incêndios né? Adeus imprevistos!