Prevenção de acidentes domésticos na infância.

Principais causas de acidentes domésticos na infância.

A infância é uma época maravilhosa não é mesmo? Tempo de descobertas, crescimento, desenvolvimento e tempo de cuidado redobrado! Os pais ou responsáveis das crianças devem ter um olhar bem atento, nunca se sabe quando uma brincadeira pode ocasionar acidentes domésticos.

Acidentes domésticos são definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como um acontecimento casual que independe da vontade humana, ocasionado por um fator externo originando dano corporal ou mental.

Apesar de antigamente serem caracterizados como fatos inevitáveis, atualmente os acidentes, recebem uma nova classificação – evento previsível –, sendo assim, se tornam passíveis de prevenção e estudo.

De acordo com estudos de Souza e Barroso (1995), 30,5% das crianças admitidas na unidade de internação pediátrica de um hospital público do Ceará foram acometidas desse tipo de incidente, fazendo-se assim, estritamente necessário todo e qualquer método preventivo.

As principais causas de acidentes domésticos estão compreendidas entre tanque solto, panelas com água fervendo sobre o fogão, ferros de passar roupa ligados, medicamentos, materiais de limpeza e fósforos. De acordo com a estatística da Sociedade Brasileira de Pediatria (1998) esses fatores correspondem a 80% dos acidentes.

Ainda de acordo com essas estatísticas, 40% do total de ocorrências se deve a asfixia e sufocamento, devido a objetos como as balas, uvas, nozes, chupetas pequenas, bolas pequenas, pecinhas de brinquedo e balões. E não vamos esquecer das quedas, que também fazem parte das principais causas de acidentes domésticos na infância que são ocasionadas, principalmente, pela indevida organização física do ambiente.

Portanto, com a nova classificação – previsível –, e tendo conhecimento das principais causas dos acidentes domésticos, devemos analisar os fatores de risco existentes para que assim possamos compreendê-los e logo em seguida, tomar a melhor atitude para a prevenção.

Os fatores de risco para os acidentes na infância.

                Diante de um cenário preventivo, faz-se necessário diversos estudos que busquem conhecer os fatores de risco para a ocorrência dos acidentes na infância, tal como os processos pelos quais esses eventos ocorrem.

Esses estudos demonstram que a probabilidade e a natureza do acidente são regidas por uma tríade – agente etiológico (causador da lesão), hospedeiro (criança que sofreu a ação) e o ambiente.

Esse conhecimento permite a substituição dos aspectos de casualidade dos acidentes. É importante para a identificação dos grupos de maior risco bem como possibilitar o estudo da interação desses fatores de acordo com a fase de desenvolvimento da criança.

Estudiosos da área classificam os fatores de risco para acidentes na infância em químicos (medicamentos, produtos de higiene e limpeza doméstica), físicos (líquidos quentes e locais perigosos), biológicos (plantas venenosas, animais domésticos, peçonhentos, insetos e roedores), e estruturais (família, cultura, estilo de vida, hábitos e crenças).

Já os processos pelos quais ocorrem, estão relacionados com uma vasta gama de fatores, tais como: as condições ambientais, físicas, culturais e sociais da família, o sexo, a idade, e a etapa de desenvolvimento neuro-psico-motor da criança, além de algumas características de personalidade.

Como prevenir acidentes domésticos na infância?

            Os aspectos determinantes dos acidentes na infância estão relacionados, como dito anteriormente, com as especificidades de cada população. Portanto, qualquer proposta de ação deve ser baseada na realidade local para total eficiência.

Queimaduras [químicos]:

  • Objetos como velas, lampiões incensos e cigarros devem ser mantidos em lugares altos e fora do alcance das crianças, bem como fósforos, isqueiros e combustíveis como o álcool;
  • Evite que os aparelhos elétricos, e a fiação sejam velhos, pois muitos incêndios ocorrem devido a peças defeituosas. As tomadas elétricas devem ser protegidas com capas plásticas;
  • O acesso a cozinha deve ser restrito, é ali que ocorre a maioria das queimaduras por escaldadura. O uso do fogão deve ser feito da seguinte forma: dar preferência às bocas de trás e as panelas devem sempre ficar com os cabos virados para a região central do fogão. Copos, xícaras ou qualquer outro recipiente contendo líquidos quentes devem ser deixados longe das bordas de mesas ou pias;

Intoxicação [químicos]

  • As substâncias tóxicas e medicamentos devem ser mantidos em suas embalagens originais e nunca passados para outras.
  • Os materiais tóxicos devem ser guardados em móveis de difícil acesso, estando assim, fora do alcance das crianças.
  • Não deve ser dito à criança que o medicamento é doce, ela pode gostar e se automedicar;

Engasgo, Sufocação e corpos estranhos [químicos]

  • Evitar que a criança brinque com objetos pequenos que possam ser engolidos, aspirados introduzidos no nariz ou nos ouvidos;
  • Impedir que a criança brinque com sacos de plásticos ou com talco, para evitar asfixia ou aspiração.

Quedas [físicos]

  • Em superfícies elevadas é importante que haja um cercado para evitar a possível queda da criança;
  • As escadas devem ser iluminadas e não possuir obstruções no caminho, além de dispor de corrimões resistentes e adequados (com redes em toda a sua extensão), bem como portões de segurança no topo e pé das escadas.
  • As portas e janelas que têm acesso a varanda ou terraço devem ser protegidas com redes fortes, grades, fechos de segurança, ou dispositivo adequado que não abra mais de 10 centímetros;
  • Os móveis não devem ser dispostos embaixo das janelas, a criança pode ver naquele objeto um incentivo indevido;
  • Manter ao máximo a área de convivência da criança livre de obstruções, porque podem dar origens a tropeções que aumentarão a incidência das lesões;
  • Não oferecer andadores a criança porque estes não são recomendados pela Sociedade Brasileira de Pediatria pois pode comprometer o desenvolvimento e causar sérias quedas;
  • Em áreas molhadas, como cozinha, banheiro e piscina, dê preferência a pisos com um coeficiente de atrito maior, dessa forma o piso trará maior estabilidade.
  • No seu jardim tenha cuidado ao escolher a vegetação, plantas pontiagudas e com espinhos devem ser evitadas.
  • A piscina deve ser cercada para que só seja acessível para a criança quando a mesma estiver acompanhada de um responsável.

Mordedura por animais [biológicos]

  • Ensinar as crianças a não perturbar seu animal de estimação, atitudes como puxar a cauda, retirar comida, osso ou brinquedo podem levar o animal a morder;
  • Não as deixar colocar o rosto perto do animal, se utilize de exemplo! Se você não fizer isso, é bem provável que ela também não vá fazer.

De acordo com o que aqui foi abordado, podemos concluir que os acidentes domésticos na infância são passíveis de prevenção por intermédio de orientação familiar, alterações físicas do espaço domiciliar e elaboração e/ou cumprimento de leis específicas.