ATERRAMENTO ELÉTRICO: ENTENDA SUA IMPORTÂNCIA

Tire suas dúvidas sobre o aterramento elétrico e suas finalidades

O aterramento elétrico, nos dias atuais, é um assunto que gera muitas dúvidas no âmbito relacionado às normas e ao ambiente elétrico. Na maioria das vezes, o não conhecimento das técnicas de aterramento ocasiona a queima de equipamentos elétricos e, em algumas situações, oferece riscos à saúde do indivíduo, com a ocorrência de choques elétricos.

Será que você sabe o que é o condutor terra e suas diferenças para os outros condutores que participam do circuito? Você sabe quais são os tipos de aterramento? Qual a norma que regulamenta uma boa instalação de aterramento elétrico? Será que você está protegido contra choques elétricos? A seguir iremos esclarecer todas essas dúvidas que podem vir a ocorrer.

A princípio, é importante saber que a norma que regulamenta a instalação de aterramento elétrico é a NBR 5410 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Segundo está norma, o aterramento elétrico possui três funções principais:

– Proteger o usuário do equipamento das descargas atmosféricas, viabilizando um caminho alternativo destas para a terra;

– Mandar as cargas acumuladas nas carcaças dos equipamentos para a terra;

– Facilitar o funcionamento dos dispositivos de proteção.

Com isso, nota-se que é fundamental instalar o aterramento elétrico no seu imóvel, seja ele residencial ou comercial. Com um bom projeto elétrico seguindo as diretrizes da norma e um bom profissional para montar a instalação, irá preservar os equipamentos elétricos e lhe proteger de riscos de choques elétricos.

Diferença entre condutores fase, neutro e terra

Antes de conhecer um pouco mais sobre os tipos de aterramento, é importante saber diferenciar o que são os condutores fase, neutro e terra, que compõem qualquer tipo de circuito alimentador, seja de uma casa residencial, ou até mesmo, de uma indústria.

O fase é um condutor onde existe a presença de uma ddp (diferença de potencial), estando eletrizado. Já o neutro, não possui tensão em seu interior e, portanto, não pode estar carregado. Por fim, o terra é um condutor de proteção que deve estar ligado a hastes cravadas na terra.

O condutor terra é o condutor relacionado ao aterramento elétrico, devendo acompanhar os circuitos, para proteger os equipamentos ligados contra sobrecargas elétricas, além de proteger os usuários contra possíveis choques elétricos.

Normalmente, é uma instalação elétrica, os condutores fase, neutro e terra são distinguidos pela cor, sendo que cada um possui uma cor própria para não confundir com os demais.

Tipos de aterramento elétrico

Agora que você conhece as finalidades do aterramento elétrico e a diferença de condutores, podemos partir para os tipos de aterramento. De acordo com a NBR 5410, existem três tipos de sistemas de aterramento mais utilizados nas construções, sendo:

– Sistema TT: Esse sistema é considerado o mais eficiente. Ele pode ser relacionado ao modelo de tomada de três pinos. Nesse caso, o terceiro pino é conectado ao aterramento, o que garante que os equipamentos sejam aterrados.

– Sistema TN-S: Não é bem recomendado. Ele pode ser relacionado ao modelo de tomada de dois pinos. Nesse sistema, os fios neutro e terra são ligados em um mesmo pino, mas a distribuição deles é separada.

– Sistema TN-C: É o menos recomendado entre esses sistemas. Também relacionado ao modelo de tomada de dois pinos, onde os fios neutro e terra são ligados no mesmo pino. A diferença está na forma de distribuição, pois nesse caso, esses fios são distribuídos em um mesmo condutor.

Mas como funciona o aterramento?

Uma vez que um determinado equipamento elétrico (uma geladeira, por exemplo) esteja com algum defeito, possivelmente devido à falta de manutenção, seu motor, ou outro dispositivo movido à eletricidade, irá liberar correntes elétricas que percorrerão a carcaça do equipamento, chamadas de correntes de fuga.

Através do aterramento, essas correntes de fuga serão transmitidas para a terra, de modo a evitar o acúmulo dessas correntes na carcaça do equipamento. Desse modo, seu equipamento estará protegido contra danos maiores, além de evitar que algum indivíduo receba um choque elétrico ao entrar em contato com o equipamento.

Entretanto, se seu equipamento não tiver aterramento, haverá o risco de choque elétrico caso entre em contato com o corpo humano no momento de liberação de tais correntes.

Para que serve o terceiro pino das tomadas?

Para quem ainda tem dúvidas sobre isso, o terceiro pino da tomada age como o condutor terra, e faz toda a função do aterramento elétrico para os equipamentos.

Quando um imóvel é antigo, não é muito difícil encontrar tomadas com apenas dois pinos. Isso ocorre devido o projeto elétrico do imóvel ser obsoleto, se comparado com o tempo atual. Nessa situação, existem usuários que consideram mais apropriado retirar o terceiro pino do fio do equipamento, ao invés de trocar as tomadas.

Mesmo os aparelhos funcionando normalmente sem o terceiro pino, o dono do imóvel deve reformar a rede elétrica do local, uma vez que ainda há os riscos já explicados aqui, ou seja, existe a possibilidade de ocorrência de choques e queima dos componentes eletrônicos.

Uma economia na troca das tomadas e alterações nos circuitos para inserção do condutor terra pode, em um futuro não muito distante, representar um prejuízo quando o aparelho queimar, por exemplo.

É obrigatório ter aterramento?

Apesar de não ser comum encontrar em construções civis, residenciais e comerciais, o aterramento elétrico é obrigatório e essencial para a construção civil, visto que atende às exigências das normas aplicadas às instalações elétricas e atua como meio de prevenção contra choques elétricos.

Vale ressaltar que o grande número de construções residenciais e comerciais sem o aterramento elétrico está relacionado à ausência de um projeto elétrico e a falta de acompanhamento por um profissional da área.

Desse modo, sempre solicite um projeto elétrico antes de iniciar qualquer instalação elétrica, para haver mais confiança e segurança. Assim, você estará se prevenindo contra eventuais problemas na sua instalação elétrica, além de executar sua construção com planejamento adequado e com base nas exigências das normas.

Implicações de um mau aterramento

Pode até não aparentar, mas um mau aterramento não causa só problemas na segurança do usuário, com o risco de choque elétrico ainda existente, mas também compromete a funcionalidade dos equipamentos. Como exemplo, o excesso de interferências eletromagnéticas e o mau funcionamento dos equipamentos, podem significar que o aterramento do imóvel não foi feito com qualidade.

E se minha casa não tiver aterramento?

Se após ler este texto você verificar que na sua casa não existe aterramento elétrico, procure um profissional qualificado imediatamente. O mesmo vale caso deseje construir um imóvel, atente sempre para a importância do projeto elétrico e evite problemas futuros.

Como já mencionado anteriormente, a ausência do aterramento põe em risco a funcionalidade de seus equipamentos e dispositivos ligados à rede elétrica de sua casa, além da sua integridade física, devido à ameaça de choques elétricos.